O portal mundial de rádios

.

Real Madrid, 3 a 1, time grande e camisa que pesa


Existe uma coisa que você não pode ter quando encara um adversário tradicional, de camisa e de história, seja no esporte individual ou coletivo.

Se há alguma possibilidade de tirá-lo da partida e vencê-lo, faça antes que seja tarde demais.

 

Começo de jogo, o Real Madrid inicia melhor que o PSG, chega mais e, leva perigo. Os únicos momentos bons do time francês eram com os avanços e jogadas individuais de Neymar.

O craque brasileiro começou empolgado demais e, de tamanha vontade, fez falta dura e mereceu levar o cartão amarelo, ainda no início do jogo. Anteriormente já havia ajeitado a bola com o braço em bola cruzada na área.

Mas nos 20 minutos iniciais o que era visto, era um revezamento de pancadas no craque do PSG e, que até aquele momento e por toda a partida, a arbitragem não tomaria nenhuma medida mais rígida quanto a isso.

Logo após Neymar teve a chance, poderia ter passado a bola na chance de finalização. Deu uma leve escorregada, não o fez e Mbappe ficou na bronca. Na sequência a resposta imediata, bela jogada e assistência de Marcelo para Cristiano Ronaldo, chute que contou com uma grande defesa de Areola.

O PSG já igualava as ações quando Rabiot abriu o placar no Santiago Bernabeu.

Bela troca de passes do ataque parisiense, começando com Mbappe, contando com o corta-luz do Cavani para Neymar e a bola ficando para o francês abrir o placar para o PSG, 1 a 0.

O Real Madrid sentiu o baque logo após o primeiro gol mas na parte final do primeiro tempo já havia se recuperado, voltava a produzir boas chegadas de ataque e tentava levar perigo a zaga do PSG.

Aliás, os dois ataques, tanto dos merengues quanto dos parisienses, trabalhavam muito bem e enlouqueciam ambas as defesas. Os setores defensivos dos dois times iam sofrendo uma pressão gigantesca, não aguentavam a produção de jogadas feitas pelos ataques perigosos de Real Madrid e PSG.

Mesmo assim os parisienses eram melhores, até o pênalti. Bizarro pênalti, ridículo de Lo Celso pra cima de Kroos.

Batida perfeita de Cristiano Ronaldo, no canto direito de Areola que se adiantou e até saltou no canto certo, mas não conseguiu pegar. Tudo igual no Bernabeu, 1 a 1.

Fim do belíssimo 1º tempo no Santiago Bernabeu com o resultado justo. Ótima partida e o penal absurdo de Lo Celso faziam com que o Real pudesse voltar mais forte e crescer ainda mais na parte final do jogo.

Era a primeira chance de matar o Real que o PSG não aproveitou.

Daí começa o segundo tempo, 45 minutos que prometiam ser eletrizantes. Só prometiam no início.

O que se via até a metade do 2º tempo, era a superioridade parisiense prevalecendo sobre a madrilenha.

Já era melhor após a metade do 1º, mas agora chegava mais, colocava mais perigo no ataque e merecia o 2º gol no Santiago Bernabeu. Teve até pênalti não marcado, em bola que bateu claramente no braço do Sergio Ramos.

Mesmo sem o lance polêmico marcado, o Real Madrid estava completamente sumido na partida, não conseguia impor jogo e o ataque do PSG seguia produzindo muito mais.

Mas… Tudo tem sempre um mas…

O domínio do PSG era nítido, mas alguém precisava de atenção especial, alguém que sempre precisa de atenção para não ser surpreendido.

Seu nome, Cristiano Ronaldo.

Emery mexeu mal, saída de Cavani por Meunier.

Zidane é ousado, entrada de Bale no lugar de Benzema e na parte final entram Lucas Marquez e Asensio.

Mesmo com a péssima alteração proposta pelo espanhol, o PSG mantinha o domínio e as ações mais perigosas da partidas, já merecia estar a frente do placar.

Merecia, mas não marcava. E do outro lado tem time de camisa, de história, de tradição de 12 títulos na maior competição de clubes do mundo.

Ok, mas e daí?

Daí que, em uma jogada do Asensio, o cruzamento é feito, a bola bate na marcação, explode no joelho de Cristiano Ronaldo e entra, 2 a 1 e a virada do Real.

Não pode vacilar com jogador genial e, se tem a oportunidade de matar um gigante como o Real no Santiago Bernabeu, ACABA LOGO! Se não, aconteceria isso aí…

Mas poderia ficar pior.

Tão pior que ficou, com o time de camisa chegando mais uma vez e… Marcelo, 3 a 1 Real Madrid.

O jogo teve um 3 a 1 justo de um time que, mesmo não sendo superior, aproveitou com sabedoria o momento que teve para matar o seu adversário.

Ao PSG, cuja classificação para as quartas repito, é muito difícil, ficam várias lições.

Lição de um time parisiense que foi superior em grande parte do jogo, principalmente no 2º tempo e poderia fazer história, mas não fez.

PSG que contou com várias chances para vencer e levar ótimo resultado para a sua casa mas não aproveitou.

Lição também de que o ataque formado por Mbappe, Neymar e Cavani mais parece uma disputa individual do que um trio de ataque, principalmente quando falamos dos dois últimos nomes. Jogando assim, o PSG nunca eliminará um time gigante da Europa.

Geralmente falo que o placar foi injusto quando um time pressiona, é superior mas acaba sendo derrotado.

Mas o que vimos em Real 3 x 1 PSG foi um time gigante que aproveitou as situações quando teve e por isso tem a classificação quase assegurada as quartas da Liga dos Campeões.

Reviews

  • Total Score 0%
User rating: 0.00% ( 0
votes )



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *