O portal de radios online de todo o mundo

.

Painel da Webrádio entrevista Anderson Cheni


Na série de entrevistas com ótimos profissionais ligados a mídia esportiva, entrevistamos Anderson Cheni, jornalista com grande experiência no meio radiofônico e que já teve passagens por Globo, Capital e atualmente está na Nossa Rádio.

Cheni contou, com exclusividade ao Painel da Webrádio, um histórico da sua carreira e fez uma análise sobre webrádios e os direitos de transmissão.

Confira abaixo a entrevista na íntegra:

 

Painel – Cheni, para os leitores do Painel da Webrádio, conte para nós o histórico da sua grande carreira no rádio.
Cheni- Comecei bem cedo (15 anos) como locutor comercial em um terminal de ônibus em Cuiabá, de lá fui “promovido” para a Rodoviária da cidade onde fiquei um ano e meio. A Rodoviária era perto da Rádio Cidade FM (hoje Mix) eu ia lá pedir emprego e com muito custo comecei a fazer folgas, nesse período também trabalhei em Chapada dos Guimarães (próximo de Cuiabá) Na Rádio Chapada 760. Mas quando ia ser contratado queimou o transmissor da rádio.
Depois de cinco anos em Cuiabá voltei para Capivari, interior de São Paulo e onde me criei. Lá trabalhei por 4 anos na FM Raízes, deixei a emissora para vir literalmente de mala e cuia pra São Paulo. Aqui fiz Faculdade de jornalismo e paralelamente trabalhei em uma produção de programa voltado para taxista na Rádio Record e estagiei no SGR (Globo/CBN) quando terminei a faculdade fui contratado pela Globo, onde fiquei 8 anos. Depois saí e fui para a Capital, onde saí no começo de julho, lá fiquei cinco anos e meio.
Hoje estou na Nossa Rádio FM com um programa diário de esportes e como colunista em programas jornalísticos da emissora que tem uma rede de rádio no Brasil.

Painel – Você é um dos profissionais que traz, com exclusividade, notícias e conteúdos ligados ao rádio brasileiro. De onde surgiu a idéia de criar o Cheni no Campo?
Cheni – Surgiu quando saí da Globo e já na Capital (2008) em uma viagem para cobrir um amistoso do Brasil em Belo Horizonte. No quarto do hotel tentava achar informações do meio e não encontrava, então achei melhor fazer um blog que seria para falar do meu dia a dia em coberturas esportivas, por isso “no campo”, mas na medida em que os colegas me passavam informações das redações, mudei o foco e aos poucos começou a ser conhecido e hoje ele serve como referência. Tanto que virei até colunista de rádio no Comunique-se.

Painel – Você consegue alguns furos de reportagem que, dias depois, o mercado fica sabendo, esse trabalho em busca dessas informações é bastante árduo?
Cheni – O duro é o tempo, pois só funciona porque a atualização é diária. Raramente não coloco nada em um intervalo de dois dias por exemplo. Tenho muitos colegas na maioria das redações, todos me passam as informações em sua maioria por telefone, por temer uma “espionagem” ou investigação nos emails. Em uma emissora, até hoje eles “caçam” quem me passa os furos, mas a chefia pensa que é uma pessoa só, e não é. sic
Checagem é fundamentam, além é claro de bancar a sua fonte. Me passam até coisas particulares que fogem do foco e por isso, não publico. Algumas engraçadíssimas e impublicáveis.

Painel – Você falou, em alguns posts, dos altos valores para rádios, isso poderá se repetir se as rádios quiserem transmitir a Copa do Mundo?
Cheni – Caros e absurdos, além de altos valores, algumas emissoras são obrigadas a veiculares propagandas dos veículos da emissora que detém os direitos, o que pra mim é o cúmulo.

Painel – Porque grande parte das entidades esportivas ainda não oferece uma forma de comunicação e negociação dos direitos com as webrádios?
Cheni – Infelizmente as rádios do segmento ainda não são respeitadas, apesar de atingirem um público alvo, não são rentáveis o que impossibilita a sua comercialização e por isso, os mídias que possuem as contas de empresas que anunciam, acabam ignorando esse segmento. Resumindo, enquanto o Ibope ou outros Institutos de pesquisas seguirem ignorando as webs, nunca os mídias vão investir em um produto que não há uma pesquisa de público alvo específica.

Painel – Sabemos que alguns canais ou grupos de comunicação tem direitos de transmissão atrelados a determinadas competições (Band e ESPN com competições da UEFA, Globo com a Copa do Mundo, etc.). Algumas perguntas chegam ao nosso portal se existem direitos de transmissão sobre competições nacionais de outros países (Espanhol, Italiano, Inglês, etc.). Existe alguma restrição ligada a direitos para esses campeonatos?
Cheni – Depende do contrato. A SKY por exemplo, não libera a transmissão do futebol espanhol em tv aberta no Brasil de jeito nenhum. Para muitos é justo, pois ela que paga, mas pra mim não é justo. Isso é um cartel das tvs fechadas e nenhum órgão se mete.

Painel – Como você vê o meio webrádio hoje?
Cheni – O futuro é incerto, enquanto não houver investimento. Em termos de segmentação ótimo, mas que não consegue emplacar no Brasil de jeito nenhum. Uma pena.

Painel – Um recado aos leitores do Painel da Webrádio.
Cheni – Parabéns pelo trabalho de vocês, que também enaltece o rádio e oferece mais opções para o ouvinte. Ah e o melhor sem aqueles merchans (que são necessários) mas acabam com a paciência de qualquer um.

 

Nós do Painel da Webrádio agradecemos a atenção do ótimo jornalista e radialista Anderson Cheni, desde já o Painel também recomenda ao nosso leitor que acesse o blog Cheni no Campo, sempre com notícias exclusivas ligadas ao meio esportivo.

Caso queira sugerir ou recomendar mais uma entrevista ao nosso portal, pode enviar pelo redacao@paineldawebradio.com.br

Reviews

  • Total Score 0%
User rating: 0.00% ( 0
votes )



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *